07/02/23

Global Wind Energy Council abre chamada para programa Women in Wind de 2023/24

O Global Wind Energy Council (GWEC) divulgou, no dia 30 de janeiro, a abertura do Programa de Liderança Global (Global Leadership Program) para mulheres do Setor eólico no ano de 2023 e 2024. Criado em 2019, em uma parceria da GWEC com a Global Women’s Network for the Energy Transition (GWNET), o objetivo do programa é, em diálogo com o quinto objetivo dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), quebrar a desigualdade de gênero do setor, por meio do aumento da agência das mulheres nas mudanças sociais e na transição energética, além de compartilhar e consolidar boas práticas no setor eólico.

Segundo o relatório “Wind Energy: a gender perspective”, publicado em 2020 pelo International Renewable Energy Agency (IRENA), em parceria com o Women in Wind, mulheres são apenas 21% da força de trabalho do setor eólico, sendo que, dentro desse número, 65% delas percebem barreiras relacionadas ao gênero no mercado de trabalho. O documento também mostra que apenas 8% dos cargos de liderança são ocupados por mulheres (sendo a maioria na área da administração e não em áreas como desenvolvimento de tecnologia e ciências), o que mostra a importância do programa Women in Wind (WiW).

Conforme o estudo Women for Sustainable Energy — Strategies to Foster Women’s Talent for Transformational Change, igualdade de gênero e diversidade no mercado de trabalho podem reduzir riscos corporativos, melhorar performance, administração e habilidade de empresas de sobreviver choques financeiros, aumentar inovação, demostrar melhoria na responsabilidade corporativa, progredir no retorno de ativos, bem como desenvolver motivação, liderança e performance.

Em 2022, o programa contou com mentores e mentorandas de 14 países distintos dos 5 continentes. O diferencial do programa, que está no seu quinto ano, é o fato de contar, neste ano, com um número quase quatro vezes maior de mentorandas. As inscrições para este ano estão abertas de 30 de janeiro até 10 de fevereiro de 2023 (atenção ao fuso horário). Considerando a necessidade de abertura de investimentos em países em desenvolvimento, enquanto mercados emergentes, as inscrições são voltadas para residentes dos seguintes países: Argélia, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Egito, Etiópia, Índia, Indonésia, Quênia, México, Marrocos, Filipinas, Rússia, Senegal, África do Sul, Tailândia, Turquia e Vietnã. As selecionadas serão contatadas no início de março, quando começa o programa de mentoria, com encontros virtuais mensais que se estenderão até janeiro de 2024. Também está incluída no programa a participação em webinars e um tour de uma semana na Europa com conferência, visitas e encontros em instituições de referência na área.

Além da região, como requisito, é necessário ter pelo menos o título de graduação em área relevante ao setor, mais de quatro anos de experiência no setor de energia eólica, histórico de liderança e realizações profissionais e proficiência em inglês (tanto na escrita quanto na fala).

O objetivo da iniciativa é alavancar a carreira de mulheres, de diferentes lugares e identidades, no setor da indústria eólica, com o empoderamento e desenvolvimento. O programa é formado por diversas ações, como mentoria e treinamento, voltados para perspectivas globais e experiências transdisciplinares; construção de redes de contato; compartilhamento de conhecimento e tecnologias inovadoras, tanto nas áreas de advocacia e de políticas públicas, quanto na administração de projetos, no financiamento e na engenharia de turbinas; e construção de plataforma que auxilie companhias a identificar talentos.

Nas palavras de Jeanette Gitobu, diretora do GWEC: “Uma transição energética justa precisa envolver uma variedade de vozes […] Diversidade de gênero não é apenas um imperativo moral, mas também um imperativo de negócios para o setor energético. A indústria precisa reconhecer que diversidade e inclusão são pontos centrais para a inovação e o sucesso. Sem força-de-trabalho diversa, o setor continuará perdendo perspectivas e estratégias singulares que as mulheres trazem à mesa”. Ela acrescenta que foi um privilégio ter o apoio, no ano passado, das várias pessoas envolvidas no programa, desde os mentores, os parceiros e os participantes para melhorar o setor para as novas gerações.

A brasileira Natália Tasso Signorelli, da área de Oceanografia física, que participou da edição anterior, compartilha, em seu depoimento publicado pela GWEC: “Acredito que diversidade ajuda a criar um ambiente mais saudável e rico. Aumenta pontos de vista por considerar diferentes contextos e perspectivas, abrindo espaço para soluções inovadoras e mais criativas”. Outras mentorandas brasileiras da última edição foram a doutoranda em engenharia geotécnica offshore Júlia Hein Mazutti; a doutoranda em geografia Nicolly Santos Leite e a especialista em marketing e vendas Silvia Cristina Toffoli.

O acesso à inscrição ao programa pode ser realizado através do link abaixo! Desejamos sucesso e ótimas experiências a todas as participantes!

Apply — Global Wind Energy Council (gwec.net)

Autora: Leticia Pilger
Editor: Paulo Renato Reche

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments