15/02/23

Inovação é palavra-chave no futuro da energia, segundo Iberdrola

Em seu relatório Innovation report, publicado em 2023, a Iberdrola compartilha suas principais ações e projetos relacionados à R&D&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) entre 2019 e 2022, período no qual a empresa investiu mais de E$ 1.200 milhões, o que a consolidou como a instituição privada que mais investiu em pesquisa no mundo, segundo a Comissão Europeia. O diretor, Ignacio S. Galán, defende, na apresentação do documento, que é um dever de todas as companhias, principalmente daquelas que trabalham com tecnologia, desenvolver uma cultura focada na inovação. Ele frisa que, quanto a energias renováveis, foi dado bastante atenção à eólica offshore no trabalho deles nos últimos anos. 

A Iberdrola aponta, no documento, que a sua visão é promover inovação e tecnologias sustentáveis com foco na descarbonização da geração de energia e na eletrificação, a partir da integração das energias renováveis, principalmente em transporte, construção e indústria. Para isso, as ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação são organizadas em em cinco linhas: 

1- Criação de novos produtos e serviços

2 – Tecnologias Disruptivas

3 – Digitalização e automação nos negócios e processos 

4 – Inovação com Start-Ups, empreendedoras e fornecedoras

5 – Busca de investimento em talentos. 

Para os próximos anos, a Iberdrola planeja investir 2 bilhões de euros em iniciativas de inovação até 2025, e mais 4 bilhões de euros até 2030, isto é, duplicará seus investimentos até o final da década.


Fonte: Innovation Report (Iberdrola, 2023, p. 9).



Dentre as ações da Iberdrola na área de pesquisa e desenvolvimento, destaca-se o trabalho com programas universitários, chegando dialogar com 13 universidades, com mais de 500 mil membros em redes de 6 países diferentes. O programa universitário tem como objetivo apoiar a construção de conhecimentos, a descoberta de talentos e a contribuição social a partir de soluções inovadoras para desafios do setor energético. No Brasil, há a participação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com foco em projetos de smart grids em cidades brasileiras. Além de negociações com empreendedoras através da Universidade Federal de Pernambuco, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e da Universidade de São Paulo.


Fonte: Innovation Report (Iberdrola, 2023, p. 27).



Dentro do PERSEO, foi criado, em 2022, o fundo Andromeda, que é o primeiro em larga escala para tecnologia voltado especificamente para transição energética. Exemplos de investimento do fundo são a EnergyLOOP, que lidera a reciclagem de componentes usados na geração de energia, como fibras de carbono de turbinas, para serem reutilizados no próprio setor energético, ou nos setores aéreo, automotivo, têxtil, químico e industrial; a Net-Zero Alliance, que propõe a descarbonização e a eletrificação do setor marítimo espanhol por meio de uma plataforma colaborativa e não-lucrativa pelo uso de combustíveis alternativos como um de seus pilares; a Basquevolt, cujo objetivo é desenvolver, de forma sustentável, os melhores materiais para baterias, de modo a permitir a implementação massiva de transporte elétrico, com a hibridização feita com sistemas de hidrogênio e armazenamento, projeto que recebeu de investimento mais de 700 milhões de euros e gerou mais de 800 empregos diretos.

Outro centro que merece destaque é o Iberdrola Innovation Middle East, que se localiza no parque tecnológico do Qatar e foi criado em 2016, tendo como foco é o desenvolvimento de soluções para as linhas de negócios, considerando redes de contato, energias renováveis e consumo. O centro é composto por uma equipe multicultural com pessoas da engenharia elétrica, da ciência da computação, da inteligência artificial e das técnicas de análise de dados, com experiência no desenvolvimento industrial e na pesquisa aplicada. Existe parceria com o Fundo de Pesquisa Qatar (QNRF), a Universidade Qatar, a Universidade Hamad Bin Khalifa, e a Universidade Texas A&M do Qatar.

É importante pontuar, por fim, que, além do trabalho direto com universidades do Brasil, a empresa tem participação ativa na matriz energética brasileira, respondendo pelas distribuidoras do grupo Neoenergia (que atende mais de 15 milhões de clientes); 4,8 GW de projetos em operação; 2,3 mil quilômetros de linhas de transmissão; e 22 subestações de energia, sendo 11 em fase de construção, segundo indica os números do site da Neoenergia. Para ter acesso ao relatório completo, confira-o aqui:

 www.iberdrola.com/documents/20125/2731938/Innovation-Report-2020-2022.pdf

Autora: Leticia Pilger
Editor: Paulo Renato Reche

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alex
Alex
6 meses atrás

Acabei de ler seu artigo e achei o blog muito interessante, tem muita informação que eu estava procurando, parabéns. Contemplados Abraços